estratégia marketing social

Posted on 16 de Junho de 2014 por

3


6 perguntas para criares a tua estratégia de marketing social, imagem de destaque

6 perguntas para criares a tua estratégia de marketing social

Apresento-te neste artigo 6 perguntas que devem direccionar a tua estratégia de marketing nas redes sociais.

A autoidentificação e visão do futuro são as bases da tua presença no mundo digital. Lê neste artigo os detalhes que irão ajudar-te nesse processo.

Se o teu negócio é fazer “escadas” e vende-las através de grandes distribuidores, qual deverá ser o valor do teu orçamento para marketing na rede social? Deverás aumentar o investimento?

Estas são questões reais que me foram colocadas por um cliente alguns meses atrás quando lhe apresentei as 6 questões fundamentais que devem direcionar uma estratégia de marketing na rede social. Dai eu ter pensado que este processo de definição da estratégia de marketing na rede social deveria ser partilhado com os leitores deste blogue.

Não há qualquer dúvida e é unanime que hoje as empresas têm que ter obrigatoriamente uma presença na rede social.

6 perguntas para criares a tua estratégia de marketing social, Estratégia de marketing, Rede Social, Vantagens das redes sociais

6 perguntas para criares a tua estratégia de marketing social

O marketing social tornou-se uma parte integral nas nossas vidas e continua a evoluir. Hoje todas as campanhas de marketing que fazemos têm que ser sociais. Isto porque estar nas redes sociais é mais do que uma táctica; é uma estratégia que deve estar presente em todos os aspectos do teu marketing. Por isso, mais do que pensares em marketing no Facebook, Twitter, Youtube,… deverás pensar em marketing social!

Quando converso com os meus clientes, utilizo seis questões essenciais que me ajudam a ter um diálogo inicial no sentido de definir uma estratégia de marketing social. Apresento-te a seguir essas 6 perguntas fundamentais:

  1. Conseguimos acabar a seguinte frase? “Apenas nós …”

Esta é uma das questões mais difíceis de ser respondida por um empresário ou empreendedor. Afinal, porque é que o teu negócio é distinto, porque é que os clientes te adoram, e como é que te posicionas no teu mercado.

És o mais rápido, barato, mais sofisticado, mais inovador, mais conveniente, mais brilhante, mais … o quê?

És único por causa da tua experiência, localização, serviço, …?

Os clientes voltam porque te adoram, são obrigados, estão emocionalmente relacionados contigo, ou porque não têm alternativa?

Eu raramente encontro um cliente que na primeira reunião consiga responder facilmente a esta questão.

 

  1. A nossa cultura consegue sustentar uma transformação para o marketing social?

Neste blogue tenho escrito muito sobre a necessidade das empresas transformaram a sua cultura para o marketing social. Resumidamente, não é o orçamento, conteúdo, recursos e visão que determinam o sucesso, mas sim a cultura da empresa; deverá existir uma cultura que seja capaz de alimentar e sustentar a mudança.

A tua empresa está preparada para publicar nas redes sociais? Consegues gerir os comentários negativos? Estás capaz de entreter e informar?

Qual será o tom da voz da tua empresa nas redes sociais? Lembra-te que a rede social amplifica tudo, pelo que é importante saberes qual será o tom que os teus seguidores irão ouvir. Será agradável, desagradável, um autêntico desastre?

 

  1. A nossa marca é conversacional – ou poderá ser? A que custo e risco?

O “business case” para o Facebook pode ser dito numa única frase: “Vem perder tempo comigo.”

As pessoas no Facebook estão entretidas a jogar ou a ver fotografias dos amigos. Porque quererão dar-te atenção e perder tempo contigo?

Se a tua marca for a Disney, Coca-cola ou Apple, não tens com que te preocupar. Já tens uma marca conversacional que todos adoram!

E se vendes algo tão aborrecido como “escadas”? Bem, ai a tua marca não será muito conversacional, até poderá ser vista como aborrecida. Nesse caso, terás que transformar-te. E isso é possível? Não é fácil e provavelmente não é barato, pelo que terás que avaliar o risco e investimento necessário, bem como comparar com outras opções de marketing que sejam eventualmente mais eficientes.

Um exemplo notável de transformação é a empresa Blend-Tec que produziu uma série de vídeos incríveis. Eles fazem batedeiras e transformaram-se numa marca conversacional. Também existem exemplos magníficos de empresas com o melhor Atendimento ao Cliente na rede social.

Se eles conseguiram, também tu podes transformar-te numa marca muito divertida! Terás que incentivar os teus fãs a relacionarem-se na rede social e deverás motivar o teu público a expressar na rede social. Poderás ver a minhas 15 dicas como atrair e relacionar-te com os teus Fãs no Facebook.

 

  1. Onde estão os nossos clientes e concorrentes?

Parece uma questão básica, mas a que muitas vezes damos pouca atenção. Uma evidência disso é o baixo investimento que geralmente as empresas fazem em estudos de mercado.

Estou neste momento a trabalhar com um cliente, um novo centro médico, que têm um projecto incrível. Os seus concorrentes têm equipamentos sofisticados, médicos conceituados, e instalações óptimas. Como é que este novo centro médico poderá destacar-se?

Realizei uma análise mais cuidada da concorrência que me mostrou que havia várias oportunidades de criar uma presença efectiva nas redes sociais. Analisei ainda, de forma bastante rápida, qual seria o meu público ideal no Facebook.

Em resultado deste trabalho, neste momento, o novo centro médico utiliza a plataforma de marketing social como um ponto de diferenciação.

Em resumo, tu deves analisar cuidadosamente a tua indústria e identificar os aspectos que não estejam a ser bem cobertos pela concorrência e que te permitam diferenciar-te.

 

  1. Qual é a nossa fonte de conteúdo útil?

Muitas empresas têm actividade nas redes sociais apenas para marcarem a sua presença e muitas vezes porque os concorrentes já lá estão. Raramente isto é uma boa ideia. Não faz sentido estares a gerar actividade nas redes sociais só para poderes marcar “sim” numa checklist. Terás que criar valor!

O que eu quero dizer é o seguinte: se queres criar valor, resolver problemas, estabelecer autoridade, criar relacionamentos, e identificar oportunidades, ai terás que fazer muito mais do que publicar no Facebook ou enviar tweets ou actualizar o teu perfil no LinkedIn. Terás que ter uma fonte consistente de conteúdo útil que alimenta a tua presença na rede social.

Conteúdo útil é procurável, específico e novo (o que significa que será relevante durante meses ou anos). Geralmente isto significa que necessitas de ter um blog, ebooks ou vídeos. Como irás alimentar com conteúdo consistente e eficientemente a tua estratégia nas redes sociais?

 

  1. O que significa “sucesso” para nós?

Voltando ao exemplo do negócio das escadas, o meu cliente estava muito impacientemente porque não estava a ter resultados financeiros gerados pelas actividades na rede social. Ele estava certo ao esperar retorno do investimento, mas um bom plano deveria definir correctamente as expectativas e estatísticas ao longo do tempo.

As actividades nas redes sociais poderão gerar conversação e relacionamentos, mas até que ponto isso poderá ser considerado “sucesso”?

Quando começares uma campanha nas redes sociais, pergunta ao teu patrocinador: “Imagine-se daqui a um ano. O que deveria ter-se passado para que a campanha seja considerada um grande sucesso?”.

São as expectativas realistas? Alcançáveis? Focadas? Ou será melhor dares um passo atrás e analisares se efectivamente estás no caminho certo?

 

E agora o quê?

Considera estas 6 perguntas essenciais na definição da tua estratégia nas redes sociais e certamente que irás aumentar a probabilidade de seres bem sucedido – pelo menos estarás a identificar melhor os problemas que poderás vir a enfrentar com um cliente ou organização. Como é que isto se aplica a ti? Partilha a tua opinião utilizando a secção em baixo de comentários.

Irina Portugal / Analista de Media Social

© Marketing Digital Portugal, Leiria

Advertisements